Menu

Language

Choose your Language:

Newsletter

Receba por e-mail as novidades da Central da Pesca!




Login






Serra da Mesa Imprimir E-mail

serra_mesa_1.jpg

Em Serra da Mesa, grandes Tucunarés
Represa no norte de Goiás é um dos maiores lagos artificiais do mundo
 

                          Uma das imagens que podem ser apreciadas em Serra da Mesa
Quando pensamos numa pescaria de tucunarés, logo imaginamos a região amazônica, com os gigantescos peixes explodindo na flor-d’água e atacando as iscas de superfície. Porém, como essa pescaria tem época certa e duração de, pelo menos, uma semana, Serra da Mesa é uma excelente alternativa, pois, fora da Amazônia, é a localidade onde encontramos a maior piscosidade de tucunarés de bom tamanho.

Localização
Localizada na região Centro-Oeste, no norte do estado de Goiás, distantes da capital paulista cerca de 1.380 km, da capital federal cerca de 350 km e formada pela bacia do Rio Tocantins, na qual, além deste, os Rios Tocantizinho, Maranhão, Traíras, Biliago, das Almas, do Peixe entre tantos outros cursos d’água de menor expressão, a represa da Serra da Mesa constitui um dos maiores lagos artificiais do mundo.

       Peixe
Nativos da região, os tucunarés locais são da espécie azul ou amarela e possuem força descomunal, comparados aos seus parentes do Sudeste, além de uma agressividade e violência de arrancada muito fortes. O clima local e o alagamento da área criaram condições ideais para o desenvolvimento dos peixes, que facilmente ultrapassam os 5 kg de peso e fazem a alegria do pescador.
 
serra_mesa-2.jpg
Pescaria
A pescaria na região é impressionante. Lembra os velhos tempos de Itumbiara e o boom de Pereira Barreto e Epitácio. Porém, como a região é preservada e de mais difícil acesso, a quantidade de tucunarés de bom tamanho chega a assustar.
Nessa pescaria, podem ser utilizadas tanto iscas naturais como artificiais, sendo que essas últimas são as preferidas da grande legião dos pescadores, pois incentivam o peixe a dar suas explosões na flor d’água e a briga é muito boa!
Além do tucunaré, a traíra, a piranha, a piracanjuba, a bicuda, a cachorra e o jacundá também atacam as isquinhas artificiais. Na pesca de fundo, piaus, grandes corvinas, pintados, cacharas, barbados e outros peixes de couro são capturados com freqüência, dando idéia da grande variedade de opções de pesca que a região proporciona.

Dicas
Normalmente, essa pescaria tem duração de 3 a 4 dias. Conheça os principais pontos no primeiro dia e bata todos os tipos de estrutura para saber exatamente aquelas que deverá pescar nos  dias seguintes.
Leve protetor solar de alto fator, boné, óculos polarizado e roupas leves, o calor é muito forte.
O tucunaré é um peixe que costuma dar uma arrancada violenta em direção ao enrosco, quando capturado. Ao fisgar o peixe, segure-o firme e tome cuidado ao tracioná-lo, pois, se der moleza, adeus peixe.
Sugerimos, nessa pescaria, levar apenas peixes médios, entre 1 e 2,5 kg, para consumo no local, preservando os grandes exemplares para que possam sempre dar alegrias aos outros pescadores também. Portanto, pratique o pesque-e-solte e garanta a sua diversão futura!

 

Click aqui para roteiro detalhado